Acordo de Concertação nos "cenários possíveis"
Em entrevista ao jornal Público o presidente da CCP (Confederação do Comércio e Serviços Portugal) afirma que "o Governo só se preocupou com a parte laboral do acordo e esqueceu as relativas à competitividade. João Vieira Lopes lembra que no passado fecharam 100 estabelecimentos por dia e que é preciso dinamizar o mercado interno."

Para ler a entrevista do presidente da CCP carregue aqui.