60 PME já pediram apoio ao programa Revitalizar
Em apenas dois meses mais de 60 PME em situação difícil pediram apoio aos fundos do Revitalizar, que têm uma dotação financeira de 220 milhões de euros.

Em causa estão mais de dois empregos e um volume de negócio conjunto superior a 300 milhões de euros que agora poderão encontrar uma solução para a sua viabilidade económica e financeira, referiu Almeida Henriques, secretário de Estado Adjunto da Economia e Desenvolvimento Regional, em declarações ao Diário Económico.

Com o programa "Revitalizar", as pequenas e médias empresas em dificuldades podem aceder a apoios até um máximo de 1,5 milhões de euros, por cada período de 12 meses, mas para isso tem que apresentar um plano de viabilização da empresa que seja aceite pelos credores.

E ontem, o ministério da Economia e Emprego anunciou mais uma etapa para a implementação do programa ao formalizar com sete instituições bancárias a participação financeira dos bancos no capital nos fundos Revitalizar. Como explicou o mesmo responsável, a "dotação orçamental de, pelo menos, 220 milhões de euros, será assegurada em partes iguais pelo QREN e os bancos", concretamente a CGD, BPI, BCP, Banif, Montepio Geral e a Caixa de Crédito Agrícola Mútuo.

Almeida Henriques promete que "até 30 de Setembro serão seleccionadas as entidades gestoras dos fundos" já que foram criados três fundos regionais. Recorde-se que ao fundo para a Região Norte foi feita uma dotação de 80 milhões de euros, para o fundo Região Centro também 80 milhões de euros e para o terceiro fundo que engloba as regiões de Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo e Algarve foram afectos 60 milhões de euros. 

in Diário Económico, 27 de Julho 2012